Páginas

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Maria Degolada (MATERIA ESPECIAL PARA AMIGA SANDRA Q É DE PORTO ALEGRE)



vamos a uma bela e aterrorizante história de Porto Alegre:

Essa é a história de Bruno Soares Bicudo e Maria Francelina Trenes. Um belo casal de jovens apaixonados em pleno século 19. Bruno era um soldado da brigada militar gaúcha e nutria um grande amor por sua namorada, a Maria.

Um belo dia, Bruno resolveu marcar um piquenique com os amigos. O dia escolhido foi 12 de novembro de 1899 e o
local, um morro que ficava onde hoje é o bairro Partenon, nas proximidades do Hospital Psiquiátrico São Pedro. Por esse motivo, o morro era chamado carinhosamente de "Morro do Hospício"
No dia em questão todos compareceram acompanhados de suas respectivas namoradas e iniciaram uma bela festa. Apenas ninguém imaginava que ela acabaria em tragédia.

Em um determinado momento Bruno começou a agir de forma estranha. Os amigos relataram que ele começou a falar coisas desconexas.Seu olhar mudou e se voltou à Maria. Logo eles iniciaram uma pequena discussão na frente de todos. Envergonhada pela situação, Maria o chama para longe dos amigos e tentar resolver o imbróglio.

O tempo passa e os amigos começam a estranhar a demora do casal e partem a procurá-los. Eis que, a cena que encontram, não poderiam imaginar nem nos seus maiores pesadelos (que pressão!!!).

Perto de uma grande figueira, jazia o corpo de Maria Francelina. Com a garganta cortada e toda ensanguentada, seu corpo ainda se debatia. Ao seu lado estava Bruno, segurando uma faca ainda apresentando o olhar estranho de antes.

Seus amigos, que também eram soldados, tentaram desarmá-lo sem sucesso. Temendo por suas vidas , acabaram chamando reforços. Ao ver que a prisão era inevitável, Bruno tentou ainda suicídio, mas foi imobilizado e levado para a prisão do quartel.

Já preso, Bruno clamava que nada lembrava do ocorrido. Seus esforços em se livrar da pena foram em vão. Foi condenado a 30 anos de prisão onde acabou falecendo 7 anos depois.

Os motivos de sua morte também são controversos. Alguns afirmam que ele foi assassinado por outro interno. Outros relatam que sua morte foi devido a complicações renais. A foto abaixo mostra Bruno na casa de detenção (só não me perguntem que é o sujeito)



Pouco tempo depois da morte de Bruno, um forte vendaval assola a região e a figueira onde o corpo de Maria foi encontrado foi arrancado com raiz e tudo. Os moradores da região construiram uma pequena capela no local em homengagem à Maria, que passa a ser conhecida como Maria Degolada.
Com o tempo, começaram a aparecer relatos de pessoas que fizeram "pedidos" à Maria e foram atendidos. Ela começa a tomar status de "santa" e atrai os mais variados tipos de devotos.



Conta a lenda que, um belo dia, um policial visitou a capela e fez um pedido para Maria Degolada. Queria conquistar uma antiga paixão. Ao sair do local e descer o morro, ele foi brutalmente assassinado por um interno que havia escapado do Hospital psiquiátrico.


Foi quando ficou claro as regras da "santa". Atende todos os pedidos de seus devotos...Com excessão dos policiais!!!

Um belo dia, uma sessão espírita foi conduzida no local e Maria manda uma mensagem a todos. Ela não queria ser conhecida como Maria Degolada e sim pelo seu verdadeiro nome. Então batizaram o local como "Maria da Conceição" (Não me perguntem por que "Conceição"...Só sei que foi assim!).

A lenda da Maria Degolada inspirou também um sincretismo com a lenda da Loira do Banheiro (que como todos sabem é a versão brasileira da bloody Mary). Se você disser seu nome 3 vezes em frente ao espelho, ela aparecerá


2 comentários:

Sandra Helena* disse...

Obrigado pela homenagem!

Compelmentos:
Até hoje existe o famoso local que ainda é temido por Policiais Militares chamado agora de Morro da Conceiçao, onde tem uma espécie de Beco chamado Maria Degolada!
Já estive lá a trabalho e tenho que admitir/confessar que é de arrepiar em virtude do tipo de pessoas que habitam esse pedaço do bairro Partenon que idolatram e cultuam a tal da Maria Degolada!
Coisas/mitos/lendas da minha amada Porto Alegre!

Anônimo disse...

Luisa de Cruz Alta-RS: Aki em Cruz Alta, a lenda da Maria Degolada se misturou muito tanto que ficou intrínsica com a lenda da loira do banheiro e da bruxa inglesa bloody mary q tomava banho no sangue das jovens virgens pra manter sua mocidade e beleza. Eu estudei numa escola( o Dr. Catharino de Azambuja) qdo eu fiz o primario, me lembro bem as guriazinhas ficavam com tanto medo de ir no banheiro, (isso q não tinha espelho)q algumas pequenininhas chegavam a ter q fazer xixi na calça! A professora tinha q ir junto no banheiro pra elas poderem usar. São fatos reais, q aconteceram, mas temos q ver q as crianças tem mt mais medo e por iço deve se ter cuidado, não se espalhar e tentar desmentir esses fatos msm sendo verdadeiros, não alimentar esse tipo de cultura, a cultura do medo, pq pode danificar causar um trauma na criança. peçoas infelizmente morrem a td hora em todo lugar, se foçe pra cada lugar q morrer alguém ficar mau açombrado, todos os lugares do mundo seriam mau açombrados, inclusive e principalmente as ruas! Nos dias de hj, ainda se alimentam mts lendas baseadas em fatos q aconteceram de verdade, por ex. na outra escola q eu fiz o 2º grau, dizem q uma professora já falecida vaga nos corredores, uma aluna( não sei se foi empurrada) cAiu da escada bateu a cabeça e morreu, desde então ela vaga nos corredores, acende as luses, anda pls escadas de mármore e faz barulhos no 3º piso, eu nunca vi, mas já senti a presença de alguém q não estava ali no momento. Um dia eu tive um sonho mt ruim com o Instituto Annes Dias e fiquei com tanto medo q até saí de lá. Era assim: A muitos anos atrás, nos 1ºs anos da fundação da escola lá por 1940, lesionou lá um professor (nao sei o nome dele), ele não era ruim, mas alguns alunos não gostavam dele pq ele era bastantee esigente queria q todos tirasse notas boas e aprendessem a materia. Uma tarde ele tava dando aula, parece q era de português, qdo se sentiu mau, estava cansado e foi no banheiro lavar o rosto e tomar agua no banheiro dos alunos pq era mais perto da sala de aula. Ele se sentia mt mau, pq os alunos não respeitavam ele. Ele estava com depressão. Ele lavou o rosto e secou com uma toalha, mas não voltou pra sala de aula. Os alunos estranhando a demora do professor, alguns guris foram até o banheiro e o encontraram morto, ele havia se matado com um canivete. Os alunos q eram maus e não gostavam do professor, não lamentaram, mas resolveram fazer uma "brincadeira" com o corpo do mestre. Decapitaram o corpo e a cabeça puseram dentro de uma mochila e levaram pra sala de aula, e passaram de classe em classe( carteira) a cabeça do profº alguns se apavoraram e sairam da sala, escorria sangue ainda. Bateu pro recreio, e os guris maus nao contentes com a brincadeira resolveram mutilar todo o corpo e os menbros foram espalhados pl escola, as pernas colocaram na quadra de volei e assim cada parte em cada lugar... Nisso começou uma grande chuva, uma tormenta como se diz aqui no sul, e o sangue começou a vasar por todas as partes da escola, ensanguentando toda a quadra, salas de aula, corredores e escadas, aonde eles paçaram com os restos mortais do profº.