Páginas

domingo, 12 de dezembro de 2010

Fenômeno sobrenatural intriga população da cidade de Poloni

Fenômenos sobrenaturais e espíritos do mal. Para algumas pessoas, isso só existe no cinema e nos livros. Mas em Poloni, cidade localizada a 40 quilômetros de Rio Preto, os moradores não falam em outra coisa. Eles acreditam que uma casa está mal-assombrada.

A comerciante E.F.S., 33 anos, filha de A.A.Z., 62, que é a dona da casa, diz que há pelo menos quatro meses acontecem coisas estranhas no local. Objetos desaparecem e são arremessados, aparelhos eletrônicos ligam sozinhos e até vasos são arremessados contra os moradores. “Cheguei a pensar que minha mãe estava doente e delirando."

Com medo, A.A.Z. se mudou para a casa de um parente há duas semanas. “Ela diz que não volta mais para cá”, afirmou E.F.S.

Na manhã desta terça-feira (7), a casa pegou fogo. As paredes da sala, da cozinha e dos dois quartos foram atingidas pelas chamas. Mas o quadro com a imagem de uma santa, um terço e um crucifixo ficaram intactos.

De acordo com H.C.A. 14, filho de E., o fogo começou do nada. “Eu joguei água benta na sala para ver se o problema se resolvia, mas o fogo tomou conta da casa imediatamente”.

Para o professor D.R., amigo da família que segue a doutrina espírita, a explicação dos fenômenos está ligada ao adolescente. “Ele tem a força na mente e um dom que precisa ser estudado e desenvolvido”, disse o professor.

Garoto diz que já emagreceu 10 quilos

Assustado com a situação da família, o adolescente H.A. afirma que emagreceu dez quilos em um mês. “Aqui ninguém come e nem dorme. Temos medo, muito medo”.

Vizinha afirma que presenciou fenômeno

A dona-de-casa L.B., 45 anos, vizinha da casa onde estaria ocorrendo os fenômenos, afirma que há um mês presenciou um deles. “A gente estava conversando na cozinha quando um cone de linha de costura veio voando em minha direção”.

Apesar de seguir a religião católica, L. afirma que passou a acreditar em espíritos depois de acompanhar de perto o drama da família. “Eles estão precisando de ajuda. Alguém precisa fazer alguma coisa. Isso não pode continuar”, disse L., chorando.

Casa_Assombrada_Poloni

Adolescente de 14 anos reza diante do quadro com imagem de Nossa Senhora Aparecida, em um dos cômodos da casa destruído pelo fogo (Foto: Hamilton Pavam/Agência BOM DIA)

Para polícia, mistério é travessura de criança

A Polícia Civil de Poloni abriu inquérito para investigar as causas do incêndio. Para a polícia, o mistério  é apenas travessura de criança.

O adolescente H.A. é o maior suspeito de praticar as “travessuras”. Ele afirma que não. “Jamais teria coragem de fazer qualquer coisa que pudesse prejudicar minha família. Estou acompanhando o sofrimento da minha mãe e da minha avó”, disse H.

Segundo o garoto, em nenhum momento ele percebeu se o seu corpo foi tomado por algum espírito. “Tenho tanto medo como as outras pessoas que moram aqui. Minha vontade é sair dessa casa”, disse o menor. O BOM DIA tentou falar com o delegado A.D.N.A., que investiga o incêndio, mas ele não foi encontrado.

Polêmica

O assunto é polêmico e causa controvérsias entre os estudiosos. O físico A.D. diz que nada do que aconteceu na casa mostra que é um fenômeno sobrenatural. “Aliás, sobrenatural não existe”.

A.D. afirma que todos o casos citados em depoimentos e periciados, nunca foram comprovados cientificamente. Já o parapsicólogo O.C., o fenômeno pode sim ser verdadeiro e estar ligado ao adolescente. “O que pode estar acontecendo é uma manifestação de tipo inconsciente e doentio envolvendo o menor. Esse caso merece um estudo mais aprofundado”, disse O.C.

Orações

Católica desde criança, a dona da casa, A.A.Z., diz que nesse momento está se apegando a qualquer tipo de religião. “Acredito em Deus e em Nossa Senhora Aparecida. Eles nunca me abandonaram quando precisei. Mas qualquer tipo de oração é importante neste momento”, afirmou A.A.Z.

Para tentar ajudar a família de A., os vizinhos dela e até mesmo quem a não conhece, estão montando grupos de orações para pedir ajuda divina. “Acho que cada pessoa deve fazer o que pode. Temos que nos preocupar com o que está acontecendo. Eu não acredito em espíritos, mas sempre tenho um pé atrás quando se trata dessas coisas”, disse A.S., vizinha de A.A.Z.

“Eu vou pedir ajuda ao padre para que a casa seja abençoada”, afirmou M.C.O., moradora da cidade.

2 comentários:

Aline disse...

Gostaria que o padre Quevedo fosse lá. Ou os irmãos Winchester. =P

Vitoria Galdino disse...

pede pro pasto ir na sua casa ora